24 de fevereiro de 2017

Fluxo de consciência



...o jeito como ele sorri com o canto da boca. Como ele me olha. Como me abraça e como me puxa pra mais perto. Como mexe no cabelo, como afasta o meu, como imita cena de filme pra ser romântico e como me tira pra dançar sem música. Como fica lindo concentrado. Como me pede pra explicar português, geografia, matemática e qualquer outra coisa que não tenha entendido, tímido com medo de incomodar. Como sorri quando faço cafuné, como pede mais e como põe a mão na minha nuca - mesmo eu dizendo “não” - pra me beijar. Como ele faz sotaque britânico, como engrossa a voz quando faz isso, como imita o Pato Donald e como fala engraçado com os pais. Como se veste, como se empolga, como vira de lado quando sorri. Como morde o meu lábio. Como fica sem graça quando o desarmo. Como já não consegue mais ficar ereto depois de 5 segundos e como é mais alto que eu. Deitar a cabeça no ombro dele. Isso é muito bom. Eu poderia dormir assim… tenho que tomar cuidado pra isso não acontecer um dia. Será que eu já fiz alguma maquiagem estranha e ele reparou? Será que eu já fiz alguma coisa que deixou ele chateado e não percebi? Gente, socorro. Será que naquele dia…? Não, acho que não. Será? Ele teria me dito. SERÁ??? Não, calma. Não. Mas ah, aquele sorriso…


Este texto representa o pensamento de alguém apaixonado. As reticências no começo e no final dão ideia de "pensamento ou ideia que ficou por terminar e que transmite, por parte de quem exprime esse conteúdo, omissão de algo que podia ser escrito, mas que não é". O alinhamento do texto, não justificado, dá ideia de desorganização e a falta de conexão entre os "pensamentos", que se atropelam uns nos outros, também vem pra passar essa ideia. Ei, e pra você que leu até aqui e/ou comenta: obrigada!

13 comentários:

  1. Acho que tu conseguiu descrever perfeitamente como uma pessoa apaixonada pensa: as dúvidas, os pensamentos sobrepostos, a desorganização. Tudo. Eu adorei a delicadeza do texto, ficou incrível e me lembrou da época em que eu sentia e pensava assim... Obrigada por trazer a tona memórias boas ��

    ResponderExcluir
  2. Acho que já assisti um filme muito parecido (com essa regência mesmo)

    ResponderExcluir
  3. "Mas será que? Não adianta, não importa, nem se importa. Tanto faz. Um dia talvez. Vou ficar aqui. Talvez um dia aconteça ou talvez seja tarde demais."


    AAAAAAAAAAH tava com saudade de ler teus textos. Por algum motivo eu "perdi" o último mas já resolvi o problema haha
    E como é sempre bom dizer: "Não para de escrever não 💙"

    ResponderExcluir
  4. Sempre a acompanho. Ótimo texto, faz com que eu me sinta bem.

    ResponderExcluir
  5. Eita mozão,tu como sempre levando poesia pra vida da gente. Até me senti apaixonada pelo "amado" do texto, espero que a personagem não sinta ciúmes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AHAHAHAH Pode deixar que ela não sente, não <3

      Excluir
  6. Eu amo ver a construção dos textos. Sério. Porque nenhum texto é escrito apenas com palavras. Tem a ver com emoção, com a disposição das linhas, com o alinhamento do texto, com o número de parágrafos, com toda a pontuação... E esse texto une tudo de forma tão perfeita <3
    Me identifiquei horrores com o texto porque é assim mesmo que a gente pensa quando está gostando de alguém! Estou encantada! <3

    http://aquelamalu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir